Doses de Leminski

Ontem terminei a leitura do livro Toda Poesia, de Paulo Leminski, publicado pela editora Companhia das Letras, que reúne todas a poesias de Paulo Leminski num calhamacinho de 421 páginas. Esse foi um livro lido em pequenas doses desde que ganhei de presente do meu padrinho (obrigada dindo!), pois são poesias curtas que você pode pegar de vez em quando e aleatoriamente (e de novo e de novo) e ler algumas. Continuar lendo “Doses de Leminski”

Anúncios

Dia Mundial da Poesia, 21 de Março

21 de Março, é o Dia Mundial da Poesia, criado pela UNESCO em 1999.
Para marcar este dia eu escolhi trazer a minha poesia preferida da vida: o Poeminho do Contra, de Mario Quintana.
#diamundialdapoesia

todos esses que aí estão atravancando meu caminho,Eles passarão...Eu, passarinho!

 

Choveu!

(Dê o play no vídeo abaixo e leia enquanto toca.)

 

Choveu!

Que alegria!

Olha como os passarinhos estão felizes!

Ouça como eles cantam contentes!

Fazendo festa, porque choveu

Voam alto na chuva

Alto em meio à imensidão

dessas belas nuvens cinzentas.

Ah! Que alegria, chove!

IMG_20180314_084827
Vista da janela do quarto.

Um café

Lembro do cheiro torrado do café preto. Lembro do barulho que fez a térmica ao servir.

Lembro de ouvir passos antes de ver o vulto de alguém que acabara de passar.

Lembro do frio daquele gélido e estreito corredor de paredes duplas e pálidas.

Ele estava ali, logo à frente, alto, esguio, vestido de preto, escorado de lado na parede com um copo de café na mão, rindo baixinho, sorrindo pra mim.

Me olha densa-mente…

Seus olhos castanhos se fixam na minha mente, junto ao cheiro quente do café.